sexta-feira, 8 de julho de 2016

Chafariz D. Maria I

O Chafariz de D. Maria I, erguido no largo do cruzamento das estradas de Setúbal e Azeitão, foi mandado edificar pela rainha em 1792, para substituir um outro anteriormente mandado construir por D. Jorge, Mestre da Ordem de Santiago, em 1540.
É composto por um espaldar em pedra, de três panos, sendo o pano central mais saliente, e encimado por cinco pináculos. Os panos laterais são lisos e caiados
No frontão, em moldura circular, está inscrito o texto "PUBLICAEUTILLITATI C.D.S.P.Q.R. SUBAUPICCI MARIA I MDCCXCII", ou seja, "De utilidade pública feito por resolução do povo senado e administração do concelho sob os auspícios de D, Maria I 1792".
No centro, e por baixo  do dito frontão, encontra-se o brasão de D. Maria, e cada um dos panos laterais está decorado com uma variação, da época, das armas de Palmela.
O chafariz tem duas bicas, que correm para uma bacia central, e dois tanques laterais, destinados a lavagens e a dar de beber aos animais.
Destas águas se abasteceu a população da vila de Palmela ao longo do sec. XIX, e até meados do sec XX

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Este pesca sempre o maior

Este encontrei-o num local com vista para uma das mais belas baías do Mundo.
Registo feito em Setúbal

segunda-feira, 6 de junho de 2016

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Homenagem

Esta foi pintada numa parede de Setúbal, junto do último local de trabalho de uma figura da cidade.
Diz-se que teve mais de 100 profissões, e dizia dele próprio que era "Um operário especializado em trabalhos não especializados"
O largo ganhou o seu nome, e o Zé Nova ofereceu-lhe esta pintura.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Crinas ao vento

Registado na aldeia da Amieira (Portel)